Armazenamento de energia por baterias sofrerá forte queda nos custos até 2030

Com estimativa de atrair 1,2 trilhão de dólares nas próximas duas décadas e graças a acentuada redução nos custos das baterias, o mercado mundial de armazenamento de energia será grandemente transformado. Segundo o relatório da Bloomberg NEF (BNEF), esse mercado crescerá e atingirá uma capacidade acumulada de 942 GW/2.857 GWh até 2040.

Os investimentos da indústria automobilística na construção de carros híbridos e eletricos, ajudará igualmente na transformação do uso dessas baterias no setor elétrico. Segundo a BNEF, o seu último estudo “Perspectiva de Armazenamento de Energia de Longo Prazo” projeta que os custos das baterias cairão aproximadamente 52% até 2030.

Analista de armazenamento de energia e co-autor do relatório que aborda esse tema, o Sr. Y. Sekine aponta: “O otimismo no uso das baterias para armazenar energia tomou conta de nós quando comparamos esse relatório com a ultima previsão realizada no ano passado. Impulsionado pelas empresas automobilísticas, aplicativos de tecnologia ligados ao compartilhamento de carros, pelas empresas de recarga de veículos híbridos e eletricos e o crescimento de energia solar com armazenamento em regiões remotas, tudo isso somado, impulsionará quedas rápidas nos custos dessa tecnologia de armazenamento”.

Coréia do Sul, EUA, Alemanha, Índia, China, Japão, França, Reino Unido e Austrália dominarão esse mercado até 2040 com dois terços da capacidade instalada. Vale destacar também que países emergentes do continente Africano terão forte atuação no armazenamento de energia, quando as concessionárias locais passarem a atuar de forma combinada através do uso de energia solar, armazenamento e motores a diesel em regiões remotas do continente, tendo isso como uma excelente alternativa a rede elétrica. Nesse momento, a Coreia do Sul lidera o posto em armazenamento, todavia, será ultrapassada pelos EUA por volta do ano de 2020.

O mercado de baterias em uma escala maior de utilidade pública se beneficiará verdadeiramente, quando marcos regulatórios de determinados países permitirem plenamente o uso de tal tecnologia, informa o relatório. O mercado automobilístico dos veículos híbridos e elétricos igualmente dominará esse mercado de baterias estacionarias, e assim, também contribuirá para um impacto equilibrado de oferta e demanda nos preços dos metais responsáveis pela construção das baterias, tais como: cobalto e lítio.

Chefe do departamento de energia da BNEF, o Sr. L. Goldie-Scot ressalta: “O armazenamento de energia via baterias crescerá mundialmente em números aproximados, a um equivalente a 7% da capacidade total em 2040. A maior parte será em geração centralizada até meados de 2030, quando então, o mercado de geração distribuída tomará essa posição de liderança.

Fonte: https://mundoenergy.blogspot.com/2018/11/armazenamento-de-energia-por-baterias.html#more